Sábado, 20 de Março de 2004

RAINER MARIA RILKE

Hora grave



Quem chora agora em algum lugar do mundo,

sem razão chora no mundo,

chora por mim.


Quem ri agora em algum lugar da noite,

sem razão se ri na noite,

ri-se de mim.


Quem anda agora em algum lugar do mundo,

sem razão anda no mundo,

vem para mim.


Quem morre agora em algum lugar do mundo,

sem razão morre no mundo,

olha para mim.






RAINER MARIA RILKE

(Tradução de José Paulo Paes)
publicado por CONSTALVES às 01:56
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Caetano Veloso

. Andrea Paes

. Samih al-Qasim

. W. H. Auden

. Ana Marques Gastão

. Eva Christina Zeller

. Casimiro de Brito

. Ana Luísa Amaral

. Fiama Hasse Pais Brandão

. Daniel Faria

.arquivos

. Agosto 2008

. Janeiro 2008

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Abril 2005

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds