Sexta-feira, 9 de Abril de 2004

D. H. LAWRENCE

Democracia



Sou democrata na medida em que amo o livre sol nos homens

e aristocrata na medida em que detesto as possessivas tacanhas criaturas.



Amo o sol em qualquer,

quando o vejo na fronte,

claro, sem temor, ainda que frágil.



Mas, quando vejo os pardos homens prósperos,

hórridos e cadavéricos, inteiramente sem sol,

como obscenos escravos prósperos saracoteando-se macanicamente,

então sou mais que radical, desejo a guilhotina.



E quando vejo os que trabalham,

pálidos e vis como insectos, às corridas

e como piolhos vivendo, com dinheiro contado

e sem nunca erguer os olhos,

então, como Tibério, desejo que a multidão tivera uma cabeça

para decepá-la de um só golpe.

Eu penso que, quando as gentes perderam totalmente o sol,

não têm direito de existir.





D. H. LAWRENCE
publicado por CONSTALVES às 18:01
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Caetano Veloso

. Andrea Paes

. Samih al-Qasim

. W. H. Auden

. Ana Marques Gastão

. Eva Christina Zeller

. Casimiro de Brito

. Ana Luísa Amaral

. Fiama Hasse Pais Brandão

. Daniel Faria

.arquivos

. Agosto 2008

. Janeiro 2008

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Abril 2005

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds